Visita ao terraço do Edifício Martinelli

Este ano é o momento de tirar da listinha de pendências alguns lugares em São Paulo que estou devendo a visita há tempos e um destes era o Edifício Martinelli, um dos símbolos arquitetônicos e históricos do centro antigo da cidade.

Já havia passado em frente ao Edifício inúmeras vezes e confesso que na maioria delas nunca havia prestado muita atenção nele. Acho que isto também deve acontecer com muita gente que trabalha por perto e tem o prédio em seu caminho cotidiano, mas nunca parou para pensar no que ele representa ou representou ou apenas em subir em sua cobertura e observar a cidade do alto e por um ângulo diferente.

terraço edifício martinelli

edifício martinelli visita

edifício martinelli são paulo

É muito mais fácil planejar viagens com o Me Joguei no Mundo!
Utilize os links dos nossos afiliados logo a seguir para conseguir descontos em hospedagens, seguro viagem, ingressos e muito mais!

Um pouco da história do Edifício Martinelli

Como o próprio nome sugere, o edifício tem sim influência italiana, aliás, de um italiano chamado Giuseppe Martinelli. Este imigrante italiano que fez fortuna no Brasil decidiu erguer na cidade de São Paulo o primeiro arranha-céu da América do Sul, e assim surgiu o Edifício que leva o seu sobrenome.

O edifício começou a ser construído em 1924, porém só foi inaugurado em 1929 e com 20 andares. Com o passar dos anos mais pisos foram sendo integrados à construção. Mas mais polêmicas acompanhavam o crescimento do edifício e quando este chegou a 24 andares, Martinelli resolveu construir sua própria casa no topo do edifício, adicionando a ele mais cinco andares.

fachada edificio martinelli sp

O local escolhido era o triângulo entre as ruas São Bento, Líbero Badaró e Avenida São João, considerados naquela época a área mais nobre da capital.

Imagine a polêmica na época que este projeto gerou, por ser inovador e diferente do que existia na cidade, afinal os prédios mais altos eram com cinco andares e eram poucos.

Ao longo dos anos, o Edifício Martinelli foi se transformando, tendo sido ponto de encontro da elite paulistana, sede do Cine Rosário, salões, restaurantes, cassinos, partidos políticos, clubes Palestra Itália e Portuguesa e até do sofisticado Hotel São Bento.

Do luxo ao lixo

Começou em 1934 o processo que levou o edifício a uma fase de decadência e abandono. Por conta de problemas financeiros, Giuseppe Martinelli teve de vender o edifício ao governo italiano, porém durante a Segunda Guerra o Brasil expropriou e leiloou as dependências do prédio.

Houve uma ocupação desordenada por volta da década de 60 e 70 e o edifício se transformou em uma espécie de cortiço, devido aos baixos preços e a área central que já se mostrava decadente.

edificiomartinelli25

edifício martinelli centro sp

Há diversas histórias sinistras sobre esta época do edifício que serviu de residência para muitos moradores clandestinos, entre eles, bandidos e prostitutas. O edifício chegou até a inspirar livros e filmes devido a histórias de assassinato e prostituição que aconteciam em suas dependências. Tanto lixo era acumulado no local que certa vez chegou a alcançar a altura do sexto andar!

Em 1975 se considerou a ideia de demolir o edifício.

Atualmente o local foi tombado Patrimônio Histórico, passou por várias reformas e restaurações e abriga secretarias municipais.

Curiosidades

São 30 andares e 130 metros de altura. O edifício foi construído em estilo neoclássico e sua fachada foi ornamentada pelos irmãos Lacombe que foram responsáveis por projetarem a entrada do túnel Nove de Julho.

visita edifício martinelli

Em 1929 Martinelli e sua família foram morar no topo do edifício, onde construiu sua residência opulente de cerca de cinco andares, chegando assim aos 30 andares que tanto almejava e também, dizem, para provar que era seguro morar em um arranha céu.

visita edifício martinelli

visita edifício martinelli

Foi no ano de 1947 que o Edifício Martinelli perdeu o título de predo mais alto da cidade com a construção do vizinho Edifício Altino Arantes, mais conhecido como Prédio do Banespa.

Edifício Altino Arantes, o "Prédio do Banespa" ao lado do Edifício Martinelli, à direita

Visita monitorada à cobertura do edifício

Para conhecer um pouco mais sobre a história do edifício e vê-lo de perto, basta marcar uma visita monitorada nos seguintes horários:

Seg a sexta 09h30 às 11h30 e 14h00 as 16h00
Sábados das 09h00 as 15h00 e domingos das 09h00 as 13h00

Entre em contato pelo Tel.: (11) 3104-2477 ou preencha um formulário no site: http://www.prediomartinelli.com.br/visitas.php

edificiomartinelli23

edificiomartinelli21

Eu não agendei nenhum horário, apenas cheguei lá em um sábado por volta do meio-dia, bati na portinha de vidro e pude realizar a visita sem problemas.

Subimos direto para a cobertura e pudemos observar com calma toda a arquitetura, a vista da cidade e os prédios vizinhos. Gostei porque a visita não era tão apressada quanto à do Copan.

É possível avistar do terraço o Pico do Jaraguá, as antenas da Avenida Paulista e um mar de outros prédios que compõem a paisagem da capital paulista.

É no terraço também que existe uma chamada Casa do Comendador, uma espécie de vila italiana, que fazia parte da residência de Giuseppe Martinelli e onde ele recebia suas visitas da elite paulistana.

Cadastre seu email e receba nossos posts gratuitamente:

Delivered by FeedBurner

Mais de Monique Bianchi

Roteiro de viagem: 10 dias em Zakynthos e Lefkada

10 dias em Zakynthos e Lefkada: o que visitei nas 2 ilhas Ao...
Leia Mais

3 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *